segunda-feira, 6 de junho de 2011

Parcerias


Parcerias entre arquitetos e fornecedores




Entre arquitetos e fornecedores não há, ou não deveria haver, relação comercial, mas sim uma parceria que pressupõe antes de mais nada, confiança mútua.

O arquiteto confia no produto e tem certeza que seu projeto será valorizado se executado por este fornecedor.

O fornecedor tem certeza que seu produto ou serviço estará valorizado no projeto do arquiteto.

Simples assim.E o cliente?

Nem sempre é fácil convencê-lo da sinceridade da especificação ou da conveniência da contratação deste fornecedor.
Outra vez a questão da confiança.

Se o cliente confia no arquiteto, tudo se encaixa perfeitamente.

Mas não é tão simples.......A credibilidade se constrói a cada obra.

É preciso acertar o máximo possível, é preciso ser transparente, é preciso ser ético, o que significa nos colocarmos no lugar dos outros.

Penso que o cliente é soberano, o que significa que eu vou buscar o melhor resultado para ele , tanto na qualidade como no preço.

Como sou o profissional nesta questão, eu devo definir o que é melhor para o cliente.

Então o primeiro passo é descobrir o que o cliente quer , precisa e o que ele pode pagar, para apresentar a solução.

Se faço um orçamento com meu fornecedor e o cliente acha caro,existem duas hipóteses:

1. Eu errei a especificação e na verdade o meu cliente não tem poder aquisitivo para este produto.


2. O cliente acha caro, pois não entendeu o valor dos produtos, mas tem poder aquisitivo para adquiri-los.

É preciso informar o cliente mostrando dados técnicos que permitam comparar produtos e preços e convencê-lo de que esta é a especificação correta.

Dizer que é mais bonito não vale e não convence ninguém!

Se um fornecedor é meu parceiro eu posso contar com ele para encontrar soluções e em contrapartida devo fidelidade de especificação e defesa de seus produtos.

Nos quais naturalmente eu acredito !







Um comentário:

Ana Paula Bosa disse...

Adorei a matéria..concordo com tudo e assino embaixo.
beijao Vania